Apresentação do PowerPoint

Apresentação do PowerPoint

OFICINA DE ALFABETIZAO SEC/PUC ALFABETIZAO: AFINAL... O QUE QUE EST ACONTECENDO? OFICINA: O que a fala tem com a escrita? MINISTRANTE: Profa. Dr. Gabriela C. M. de Freitas - 2005 - ROTEIRO 1- Aquisio da escrita 2- Conscincia fonolgica

3- Nveis de conscincia fonolgica 4- Conscincia fonolgica e alfabetizao 5- Mtodos de alfabetizao 6- A concepo (e no mtodo) construtivista 7- O trabalho com os sons em sala de aula 8- CONFIAS (2003) 9- Sugestes de atividades Objeto simblico, substituto que representa algo. ESCRITA No constitui uma transcrio fontica da fala, mas

estabelece uma relao essencialmente fonmica, isto , procura representar aquilo que funcionalmente significativo, estabelecendo um sistema de regras prprias (Kato, 1986; Ferreiro e Teberosky, 1991). Exemplos: [profesor] professor [taksi] txi AQUISIO DA ESCRITA Para aprender a ler e escrever, o indivduo necessita entender a relao estabelecida entre fala e

escrita e conhecer o sistema de regras da escrita. Incio da alfabetizao Descoberta do Princpio Alfabtico relao fonemas (sons) / grafemas (letras) Para a identificao do princpio alfabtico a criana deve reconhecer a relao som-letra e ser capaz de analisar, refletir, sintetizar as unidades que compem as palavras faladas (Tunmer, Pratt, Herriman, 1984). As crianas de um modo geral recorrem oralidade para fazer vrias hipteses sobre a escrita, mas usam tambm a escrita, dinamicamente, para construir uma anlise da prpria

fala (Abaurre, 1988, p. 140) A aquisio da escrita exige que o indivduo reflita sobre a fala, estabelea relaes entre os sons da fala e sua representao na forma grfica, entrando em jogo a CONSCINCIA FONOLGICA formulao de hipteses sobre a escrita ALFABETIZAO reflexo sobre a relao entre a fala e a escrita uso da conscincia fonolgica

CONSCINCIA METALINGSTICA CONSCINCIA FONOLGICA A conscincia fonolgica envolve o reconhecimento pelo indivduo de que as palavras so formadas por diferentes sons que podem ser manipulados, abrangendo no s a capacidade de reflexo (constatar e comparar), mas tambm a de operao com fonemas, slabas, rimas e aliteraes (contar, segmentar, unir, adicionar, suprimir, substituir e transpor). (Moojen et al., 2003, p.

11). gua mole em pedra dura Tanto bate at que ___________ Luzia __ustrava o __ustre __istrado o __ustre __istrado __uzia na __luz - Lngua do p: A professora porquinhos. contou

a histria dos trs NVEIS DE CONSCINCIA FONOLGICA Rimas e aliteraes

caf bon prato - preta Slabas faca - fada Fonemas vida - vento Conscincia fonolgica

Conscincia de rimas e aliteraes Conscincia de slabas Conscincia de fonemas Relao entre conscincia fonolgica e alfabetizao Causa?

Conseqncia? ?????????? CONSCINCIA FONOLGICA ALFABETIZAO ALGUNS ESTUDOS REALIZADOS NO BRASIL Carraher e Rego (1981; 1984) Bezerra (1982) Cardoso-Martins (1995) Cielo (1996) Morais (1997)

Menezes (1999) Capovilla e Capovilla (2000) Costa (2002) Freitas (2003) PARA PENSAR: Se a conscincia fonolgica contribui positivamente para a alfabetizao, por que no realizar atividades que desenvolvam tal conscincia? MTODOS DE ALFABETIZAO Mtodos sintticos

- correspondncia entre o oral e o escrito; - das partes para o todo; - ensino das letras (mtodos alfabticos); -associao de fonemas representao grfica (mtodo fontico); - correspondncia som-letra - uso de cartilhas, de slabas sem sentido (mtodo silbico); - estratgia auditiva; - aprendizado da leitura e da escrita = questo mecnica. Mtodos analticos - reconhecimento global das palavras ou oraes; - do todo para as partes;

- uso de unidades significativas; - estratgia visual; - aprendizado da leitura e da escrita = questo global. Os mtodos tradicionais de alfabetizao pretendem controlar a aprendizagem, decidindo quando e como a criana deve aprender. So ensinados, primeiramente, os padres som/letra considerados mais fceis, sendo criada uma seqncia artificial de ensino. A criana exposta a fragmentos da lngua: sons e letras isoladas e sentenas descontextualizadas. A concepo (e no mtodo) construtivista A obteno do conhecimento um resultado da prpria atividade do sujeito.

Ponto de vista interacionista (Piaget). Sujeito ativo, ponto de partida da aprendizagem. Erros construtivos: pr-requisitos necessrios para a obteno da resposta correta. Conflito cognitivo. Observao das hipteses das crianas: pr-silbica; silbica, silbica-alfabtica; alfabtica. Os aspectos fundamentais para a aquisio da escrita so a competncia lingstica da criana e suas capacidades cognoscitivas. O desenvolvimento da competncia para a escrita um fenmeno de natureza complexa. Alm de uma dimenso psico-sciolingstica, h uma dimenso que implica o

desenvolvimento da capacidade metalingstica, capacidade de identificar e manipular unidades como a slaba e o fonema (Ferreiro e Teberosky, 1991). HIPTESES DE ESCRITA castelo HNMA; AESEDR; ESDQLAHC Esqueleto IQEO;

ICQLO; IPEO Castelo CASTLO; CASTELU; CATLU ISQELETO

Pr-silbica Silbica Silbico-alfabtica Alfabtica Slogan da Alfabetizao Escreve do teu jeito.

??? Sempre??? Qual a sada? Qual a proposta de alfabetizao mais eficiente? Nenhum mtodo educacional garante bons resultados sempre e em qualquer lugar; isso s se obtm com a competncia do professor. Cagliari (1998, p.34) O mtodo (enquanto ao especfica do meio) pode ajudar ou frear, facilitar ou dificultar, porm no criar aprendizagens. (Ferreiro e Teberosky, 1991, p.29). Equilbrio entre o tradicional e o atual, focalizando sempre o objeto da aquisio da escrita: A LINGUAGEM.

OBJETO DE ESTUDO E ENSINO DA ALFABETIZAO LINGUAGEM resgatar: o ensino do alfabeto, das relaes entre as letras e os sons, os diferentes sistemas de escrita e a ortografia. trabalhar com os sons, com a relao fala / escrita entra em jogo a CONSCINCIA FONOLGICA

ATENO: No se pretende aqui defender nenhum mtodo de alfabetizao, mas apontar para a importncia do trabalho com a linguagem, com as capacidades metafonolgicas das crianas. necessrio que o professor alfabetizador use no mtodos prontos, mas bom-senso para saber o que pode auxiliar no ensino da lecto-escrita. Acompanhamento da evoluo da escrita das crianas

+ desenvolvimento das habilidades metafonolgicas Acredita-se na estimulao do trabalho com os sons e sua relao com a escrita no como um retorno a mtodos ultrapassados, mas como apoio para um caminho construtivo de aquisio da escrita. As habilidades metafonolgicas devem ser estimuladas atravs de jogos e brincadeiras no como um treinamento, mas como uma estimulao com carter preventivo. Esse trabalho pode ser mais uma ferramenta para instrumentalizar educadores e terapeutas a auxiliar as crianas no processo de aquisio da escrita.

CONFIAS Conscincia fonolgica: instrumento de avaliao seqencial Nvel da slaba S1 Sntese S2 Segmentao S3 Identificao de slaba inicial S4 Identificao de rima S5 Produo de palavra com a slaba dada S6 Identificao de slaba medial S7 Produo de rima S8 Excluso

S9 Transposio Nvel do fonema F1 Produo de palavra que inicia com o som dado F2 Identificao de fonema inicial F3 Identificao de fonema final F4 Excluso F5 Sntese F6 Segmentao F7 Transposio Sugestes de atividades:

Slabas Bater palmas correspondentes aos nmeros de slabas de palavras e frases. Cantar uma msica batendo palmas para cada uma das slabas. - Recitar um poema marcando com os ps as slabas. Dizer palavras que comecem ou terminem com determinada - slaba. - Fazer perguntas que exijam reflexo sobre as slabas:

Quantos pedaos tem a palavra bola? Qual palavra vai ficar se eu tirar o co de casaco? E se eu tirar o sa de sapato? Qual o pedao do meio da palavra castelo? Cantar uma msica excluindo determinadas slabas. O sapo no __va o p No __va porque no quer Ele mora __ na __goa No __va o p porque no quer Mas que chul! - Brincar com a lngua do p: ca pa sa pa (casa)

pe ca pe sa (casa). Tirar uma slaba e desenhar o que sobrou: bolacha soldado Rimas e aliteraes: Ler um poema em voz alta para os alunos e perguntar quais as palavras que rimam. Corre cutia

na casa da tia corre cip na casa da v lencinho na mo caiu no cho moa(o) bonita(o) do meu corao - Dizer palavras que rimem com o prprio nome. Ex.: Gabriela panela.

A partir de figuras, agrupar as palavras que rimam. Completar as rimas Fui na horta apanhar couve marimbondo me mordeu Fui dar parte polcia A polcia me ______________ Descobrir O que Marieta guarda dentro da gaveta? ( ) uma revista em quadrinhos ( ) a sua primeira chupeta ( ) um cachorrinho pequeno -

Cantar uma msica e propor desafios. Exemplo: No podemos falar as palavras que terminem com o. A partir de figuras, dizer palavras que comecem com os mesmos sons. Identificar, em um grupo de figuras, aquelas que comeam com os mesmos sons. Fonemas

Fazer perguntas que exijam a reflexo sobre os fonemas: Quantos sons tem a palavra sala ? (segmentar os sons batendo palmas) Qual o ltimo som da palavra domin? () Qual palavra resta se eu tirar o / l / de luva? (uva) Dizer palavras que comecem com um determinado som. Ex.: /s/ - sapo, sacola, sorvete, sopa, sino. Brincar com parlendas, trocando determinados sons: O rato roeu a roupa do rei de Roma. O pato poeu a poupa do pei de poma.

Recently Viewed Presentations

  • vtechworks.lib.vt.edu

    vtechworks.lib.vt.edu

    Models trained on larger articles tend to give larger summeries. This suggests it would've perhaps been better to train on Wikipedia instead of CNN News. Using other people's pretrained models was easier than training our own, but still wasn't easy...
  • Drug administration throughout the life span - MIRACLE

    Drug administration throughout the life span - MIRACLE

    Excretion. By the . third trimester . of pregnancy, blood flow through the mother's kidneys increases by over 50%. This increase has a direct effect on renal plasma flow, glomerular filtration rate, and renal tubular absorption. Thus, drug excretion rates...
  • Gators, Haters and the First Amendment When a

    Gators, Haters and the First Amendment When a

    FreeSpeech.ufl.edu. Communication Channels: Come of our communication channels included a GatorSafe app, regular emails and statements and obviously social media which I'll talk more about in a bit, but the primary channel we used to share information was through the...
  • LAB SAFETY RULES - Ms. Whitworth's 6th grade Sci-Tech and ...

    LAB SAFETY RULES - Ms. Whitworth's 6th grade Sci-Tech and ...

    Skip to the next part of the lab. Ask the instructor for assistance. Place all lab equipment away from the edge of the lab table to prevent accidents. Report any accidents to the teacher immediately. Stay in your assigned group...
  • Budget Constraints - LIU

    Budget Constraints - LIU

    Budget Constraints ECO61 Udayan Roy Fall 2008 Prices, quantities, and expenditures PX is the price of good X It is measured in dollars per unit of good X The consumer pays this price no matter what quantity she buys.
  • Learning Objective 4 Describe webbing and webbing construction.

    Learning Objective 4 Describe webbing and webbing construction.

    Construct technical rescue anchor systems. Package and secure victims to litters. ... Ice, swift water rescue. Always keep safety first when hoisting tools and equipment. 8- ... PowerPoint Presentation Last modified by:
  • Atelectasis, Pulmonary Edema, Acute Lung Injury and Acute ...

    Atelectasis, Pulmonary Edema, Acute Lung Injury and Acute ...

    Hypoxemia may be refractory to oxygen therapy due to ventilation perfusion mismatching.. The functional abnormalities in ALI are not evenly . distributed. throughout . the lungs. The lungs have areas that are infiltrated, consolidated, or collapsed (and thus poorly aerated...
  • Cystic Fibrosis-a Clicker Case - University at Buffalo

    Cystic Fibrosis-a Clicker Case - University at Buffalo

    b. 25% of the children of two carriers will get cystic fibrosis. c. 50% of the children of two carriers will get cystic fibrosis. d. There is a 25% chance that a child will have cystic fibrosis if both parents...